.


“Se servistes a Pátria que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis e ela, o que costuma”


(Do Padre António Vieira, no "Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma", na Capela Real, ano 1669. Lembrado pelo ex-furriel milº Patoleia Mendes, dirigido-se aos ex-combatentes da guerra colonial.).

-

"Ó gentes do meu Batalhão, agora é que eu percebi, esta amizade que sinto, foi de vós que a recebi…"

(José Justo)

-

“Ninguém desce vivo duma cruz!...”

António Lobo Antunes, escritor e ex-combatente

referindo-se aos ex-combatentes da guerra colonial


.

.
.

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART

RECONHECIMENTO

ESTES SÃO OS EMBLEMAS DAS UNIDADES OPERACIONAIS ESTACIONADAS EM TITE E AINDA DAS COMPªS DO INICIO DO BART. FALTAM AQUI OS EMBLEMAS DAS UNIDADES DA ARMADA E DA FORÇA AÉREA QUE TANTAS VEZES FORAM AO ENXUDÉ, A TITE, A NOVA SINTRA E OUTROS AQUARTELAMENTOS, PARA ENTREGA E LEVANTAMENTO DE CORREIO, REABASTECIMENTOS DE GÉNEROS E MATERIAL BÉLICO E OUTRO DIVERSO, OU PARA EVACUAÇÃO DE MORTOS E FERIDOS E TAMBÉM PARA FLAGELAÇÃO DO IN. E AINDA VÁRIAS UNIDADES DE INTERVENÇÃO RÁPIDA TAIS COMO PARAQUEDISTAS, FUZILEIROS, COMANDOS E OUTRAS COMPANHIAS, PELOTÕES OU SECÇÕES, PARA AJUDA EM MOMENTOS MAIS DIFICEIS.

Facebook

Para abrires o nosso FACEBOOK, clica aqui


______________________________________________________________

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Homenagem ao António Alves Heitor







Jock, o cão do Heitor, a mascote do Batalhão

Caros companheiros
Teve hoje lugar a nossa homenagem ao António Alves Heitor, furriel miliciano enfermeiro do nosso Batalhão em Tite.
Foi um ato simples mas sentido, em nome de todos nós.
À nossa espera estava o seu filho João Heitor e dois amigos da família, Alberto Figueiredo e Luis Curdia. Mais tarde chegaram mais dois amigos da família, Silvino Oliveira e Elvira Crespo.
Agredecemos ao João Heitor e aos seus amigos pela gentileza ao comparecerem nesta homenagem ao amigo falecido.
Revivemos em conversa, vários episódios da vida do Heitor e da sua família e até tivemos a possibilidade de assistir a uma conversa telefonica entre o João Heitor e o Rosa, que conheceu e conviveu com a família e que por motivos de saúde não pode estar presente.
Agradecemos mais uma vez a todos os companheiros que colaboraram de alguma maneira nesta homenagem, embora não estivessem presentes.
Foi um dia diferente, até pelo calor que se fez sentir, lembrando os tempos de Africa.
Paraíso Pinto/Leandro Guedes.

Sem comentários: